Vantagens do formato MP3

Falando sobre MP3

O algoritmo de compressão MP3 é baseado nas limitações do ouvido humano, que só é capaz de captar frequências entre 20Hz e 20Khz.

(é mais sensível entre 2 e 4Khz), e elimina frequências inaudíveis preservando a essência do som. Ao usar o MP3 é possível selecionar o nível de codificação e compressão desejado. Obviamente, quanto maior a compressão, menor a qualidade. Em 128Kbits / 44khz estéreo, um bom equilíbrio entre compressão e qualidade é alcançado.

 

O formato de áudio utilizado em (CDs) utiliza 44,1 Khz e 16 bits, ou seja, grava 44.100 amostras de 16 bits (2 bytes) a cada segundo. É essa imensa quantidade de dados que permite um som de altíssima fidelidade.

 

Ainda existe vantagens:

 

Praticidade: MP3 é um formato de áudio que pode ser distribuído de forma incrivelmente fácil pela rede, pois, ao contrário dos arquivos de áudio sem perdas, o formato MP3 compacta as informações redundantes de um arquivo de áudio, exigindo menos espaço de armazenamento e facilitando a distribuição na rede.

 

Qualidade: Embora a qualidade do MP3 não seja estudada, consegue atingir um nível de clareza usando a compactação de 320 Kbps que em termos de consumo é bastante bom, por isso quando se trata de distribuir massivamente música via streaming ou download, os arquivos são convertidos para MP3.

 

Vale ressaltar que nem todas as pessoas têm um ouvido capaz de perceber a diferença de qualidade entre um arquivo MP3 e o mesmo áudio em um arquivo de áudio de alta definição, então, em termos práticos, grandes empresas de streaming de música optaram pelo MP3 como streaming e áudio.

 

Sem patentes: O formato MP3 atualmente é um formato livre, não exige o pagamento de licenças ou royalties por patentes, portanto é possível utilizar este formato comercialmente.

 

Existe também o MP3Pro:

 

O mp3PRO é um algoritmo (ou codec) de compressão de áudio que combina o formato de áudio MP3 com métodos de compressão de replicação de banda espectral (spectral band replication) ambos foram desenvolvidos numa parceria entre o Instituto Fraunhofer e o Thomson Multimídia, respectivamente da Alemanha e França.

 

A idéia é implementar uma camada adicional de compactação, que permite diminuir em até 50% o tamanho dos arquivos gerados, mas mantendo compatibilidade parcial com o algoritmo antigo.

 

Basicamente, o novo formato permite gerar arquivos com bitrate de 64 Kbps com uma qualidade semelhante à dos arquivos de 128 Kbps compactados com o codec antigo ou gerar arquivos de 128 Kbps com qualidade semelhante à dos arquivos de 256 Kbps.

 

A "compatibilidade parcial" significa que os arquivos compactados usando o novo codec podem ser ouvidos num programa compatível com o algoritmo antigo, mas neste caso como não existe suporte à camada adicional de compressão, a qualidade do áudio é menor. Um arquivo MP3 Pro de 64 Kbps terá qualidade de CD ao ser tocado num programa compatível com o novo formato, mas terá qualidade de rádio FM caso seja ouvido num programa antigo.

 

Desvantagens do MP3:

 

A conversão pode resultar em baixa qualidade, dependendo da qualidade de compactação escolhida. Um MP3 baixado da internet pode criar alguns artefatos em vozes e instrumentos em relação ao áudio original.

 

Tem uma perda de qualidade, embora mínima, em relação ao CD. Alguns MP3s têm metadados errados ou ausentes sobre a música.

Apesar de suas vantagens e desvantagens, o MP3 sem dúvida continuará a colorir o cenário da música mundial nos próximos anos. Este formato parece menos afetado pelo surgimento de muitos novos formatos de áudio.

 

Artigo escrito por: Jorge Faria  

Data:02/03/2022

Consultor de Broadcast da Audiotx e Stereotool FM

www.stereotool.com.br

www.audiotx.com.br