Compactação de áudio para Radios FM’s

A música compactada digitalmente é armazenada, transmitida e baixada em uma variedade de formatos de arquivos. Possuem 3 categorias:

  1. Áudio não compactado – PCM – WAV.

  2. Compactação com perda – MP3 – AAC – OGG.

  3. Compactação sem perda - FLAC.

Os formatos não compactados são chamados PCM (Pulse Code Modulation) ocupam mais espaço em termos de armazenamento, porem mantem a total integridade das músicas sem nenhuma perda de qualidade.

O Windows usa o padrão WAV que é um exemplo de áudio não compactado.

 

Na compactação com perda, algumas informações do arquivo de origem são descartadas para economizar espaço. Quando o arquivo é decodificado para a reprodução, essas informações são reconstruídas por meio de algoritmos matemáticos. Isso resulta em perda da qualidade sonora em comparação ao arquivo original.

 

A compactação sem perda leva significativamente mais tempo para codificar do que um arquivo não compactado. Portanto, ela é usada somente para arquivos de áudio de alta qualidade ou nível profissional, nos quais a riqueza de detalhes da música deve ser mantida para fins de arquivamento. Os formatos WMA lossless, FLAC e Apple Lossless são exemplos de formatos de compactação sem perda.

 

Nem todas as AUTOMACOES são compatíveis com os formatos digitais de compactação, portanto antes de escolher um formato para usar na rádio certifique com o fabricante se o player é compatível.

 

Formato da música em MP3?
A música MP3 é o formato mais usado nas rádios no Brasil! Pelas seguintes razoes; é fácil de armazenar, fácil de baixar da internet, tem transferência rápida, e compartilhamento fácil.

 

Como minimizar a perda da qualidade sonora na compactação de áudio?

O uso de formatos sem perda, que melhora consideravelmente a qualidade do som; alguns formatos de compactação permitem ajustar a taxa de transferência. Comparada a outros formatos digitais, a compactação MP3 usa taxas de transferência relativamente baixas – a mais usada é a de 128 kbps. A taxa mais baixa resulta realmente em perda de qualidade, mas a utilização do Processador STEREO TOOL FM BOX PLUS que possui algoritmos matemáticos que tenta recriar os efeitos destas perdas através do Delossifier permite devolver um pouco da dinâmica e a vivacidade natural da música compactada restaurando os detalhes sonoros perdidos na compactação.

 

 

Abaixo um guia do formato de compactação:

 

  • 96 kbps – Qualidade ruim.

  • 128 Kbps – Qualidade aceitável.

  • 192 Kbps – Boa qualidade.

  • 320 Kbps – Praticamente igual aos formatos sem compressão.

 

 

 

Para uma superior qualidade de áudio no ar (FM) use formato MP3 com 320 Kbps, já foram feitos vários testes e os ouvintes não se conseguem distinguir nenhuma diferença em relação ao áudio gravado original do CD.

 

Alguns Codec possuem qualidade superior ao MP3 porem não são compatíveis com a grande maioria das automações (players) disponíveis no mercado.

Por exemplo, a qualidade de arquivos wma e .aac codificados em 128 kbps é considerada tão boa quanto a de MP3 em 192 kbps.

 

A compactação sem perda, é aplicada para reduzir o tamanho do arquivo de música, mas todos os dados do arquivo original são mantidos no processo. O tamanho de um arquivo sem perda é aproximadamente a metade de um arquivo não compactado, mas consideravelmente maior do que o de formatos com perda.

 

Em rádios FM’s onde a resposta de frequência vai de 30 Hz a 15KHz podemos usar sem comprometimento a compactação em MP3 no padrão de 320 Kbps.

Se você tem dúvida ou alguma pergunta que gostaria de fazer escreva-nos será um prazer responder!

 

Artigo escrito por: Jorge Faria

Consultor de Broadcast da Audiotx e Stereotool FM

www.stereotool.com.br

www.audiotx.com.br

 

 

Contato 

Audiotx 

Rua Porto Alegre, 263 Cabo Frio, RJ

Telefone: (22) 2648 - 9818 
Celular: (22) 99885 - 6062 (Vivo)

Celular: (22) 98102 - 7853 (Tim)

© Copyright Stereo Tool  2016.  Stereo Tool  Exclusivo